Nada Yoga 

Nada Yoga

"Quem conhece os segredos do som, conhece o mistério de todo o universo" - Harzat Inayat Khan.

O Nada Yoga, citado e praticado há centenas de anos por grandes mestres e Yogues, é circundado pelos mais altos estágios ou estados de consciência e samadhi. Segundo o livro Hatha Yoga Pradipika, isso ocorre porque o nada acontece na absoluta concentração da mente, quando então o sutil se manifesta em forma de som.

O som é conhecido como nada e também como shabda, sendo o primeiro o não perceptível aos nossos ouvidos e o segundo, perceptível. 

Segundo ainda este livro ou melhor esta escritura, o nada é poder criativo da mais elevada consciência, sendo o nada individual chamado de pinda e o nada cósmico chamado de para.

"Quando há a concentração verdadeira, o seu som interno pode ser ouvido. Esta é a libertação do potencial interno e quando então ocorre, toda a sua percepção deste mundo passa por uma mudança" - Capítulo 4, página 557.

Para o Swami Sivananda em seu livro "Tantra Yoga, Nada Yoga and Kriya Yoga" o Nada é uma manifestação do Deus Brahman, representado pela vibração da sílaba "OM" - sendo este o mais sutil dos sons, assim como descrito no Pradipika. O OM representa em si a união de Shiva e Shakti ou fisicamente a "Expansão e a Contratação" do Universo.

A manifestação do som, segundo a escritura Pradipika, foi categorizada em 4 (quatro) estágios, do mais sútil ao mais material, a saber:

1 - para, 2 - pashyanti, 3 - madhyama, 4 - vaikhari.

O que é importante entender dessa categorização, é que o som mais sutil é percebido pela consciência individual em si, e, por sua vez, o som material é percebido pelas orelhas e enviado ao cérebro por meio de vibrações.

A prática de Nada Yoga (shadana), decorre então por meio da meditação e muitas vezes a ferramenta utilizada para isso são as entoações de mantras - tal como sugerido pelo Yoga Tântrico e, exemplificada nos livros citados e em muitos outros já disponíveis na net, combinando técnicas para percebemos os 4 (quatro) estágios de som até ouvirmos o nosso som interno e o som cósmico. 

No começo da prática do Nada Yoga propõe-se, em geral, reconhecer os sons externos e os sons em movimento entre as categorias (1, 2 e 3). Quando estamos com a mente clara como a água, com pensamentos espaçados entre si e livres, então, podemos alcançar os níveis mais altos de percepção do som.

O Nada Yoga é recomendado para qualquer pessoa e rapidamente, dependendo do foco e conhecimento associado a prática de Asanas e Pranayamas do praticante, alcança-se resultados otimistas, em especial na concentração, no sono e na percepção da vida. 

Complementarmente, gostaria de expor rapidamente sobre o mantra - tal como apresentado nas escrituras, sendo este considerado importantíssimo na prática em questão.

"O mantra existe na forma sutil e material. Diferentes dimensões tem sido percebidas e repassadas pelos grandes yogues, Rishis e munis através dos mantras. Os mantras trazem todo tipo de resultado. Conhecimento sobre mantra é chamado de mantra siddhi, que confere o poder de modificar e influenciar processos de criação e destruição do mundo material na dimensão ordinária".

Por fim, sobre o mantra OM ou Pranava, este é considerado o som que está na origem do universo - já descrito pelo Swami em linhas atrás. Sua prática, assim como os sons relacionados aos 7 (sete) chakras (e tantos outros): LAN, VAM, RAM, YAM e HAAM , faz vibrar nossos centros de energia, purificando os canais astrais (nadis) e preparando o despertar da energia latente (Kundalini Shakti) - Pradipika, capítulo 4, página 582. 

Por Mariana A Ventureli