FILOSOFIA DO YOGA E O CONCEITO DE VINIYOGA

O termo tem como tradução mais próxima ao português, e dessa forma norteia sua aplicação em nosso sistema, como sendo “Aplicação”, ou seja Viniyoga: “aplicação do yoga”.

“Aplicação do Yoga” no sentido amplo, orientado a diversidade, propriamente a realidade heterogênea, tanto corporal, regional, cultural, postural, genética, anatômica e tantos outros. Para tanto o Yoga seria aplicado tanto ao individuo, quanto ao grupo, objetivos, propósitos, e é propriamente dar uma aplicação ao yoga.

Segundo Pedro Kupfer, a palavra viniyoga designa uma aproximação à prática do yoga que privilegia o indivíduo, levando em conta suas aspirações, suas possibilidades, sua saúde, seu entorno, sua forma de vida e sua cultura. a prática de viniyoga respeita o ritmo de evolução de cada um. Nas práticas as posturas físicas são sincronizadas com a respiração em sequências, que são, por sua vez, montadas em função das necessidades de cada praticante.

Para o Dr. Kausthub Desikachar, o "Viniyoga é uma palavra antiga que tem a sua origem, provavelmente, nos Vedas, e talvez até mesmo antes disso. A palavra aparece em muitas práticas de meditação antigas. Considerada a mais antiga prática meditativa, o Sandhyavandanam, foi usada como forma de honrar e ser grato ao Sol. Nesta prática, não é mais do que uma ocasião em que a palavra usado é Viniyoga. O contexto do significado é uma das aplicações, uso ou emprego.

Da mesma forma a palavra Viniyoga foi muitas vezes utilizada com tal significado, como uma aplicação ou uma utilização em outros contextos também. Então, quando as palavras "viniyogah pranayama", foram proferidas, significava que era "aplicação de pranayama". Quando as palavras "Gayatri mantra viniyogah", que significaria "a aplicação do uso do Gayatri mantra".

Essa tendência continuou a ser exibido em muitos textos que se seguiram ao Vedas, incluindo a Yogasutra de Pataïjali. Isto é, quando esta palavra iniciou a sua primeira associação com a filosofia Yoga. No terceiro capítulo deste texto, a palavra encontra uma menção, quando os conceitos de meditação estão sendo discutidos. O autor Patañjali, usa aqui para nos informar que as práticas meditativas deve ser aplicado apropriada para o nível de progressão do aluno.

Isto é consistente com o tema geral da aplicação de todas as práticas de yoga, e não apenas a meditação. Patañjali muitas vezes nos lembra no Yogasutra que todas as práticas de yoga, deve ser administrado de forma adequada, e não apenas da mesma maneira. Seja através do conceito de viniyoga, ou yatha abhimata, ele estabelece firmemente a ideia de que as práticas de yoga deve ser devidamente utilizado, e até mesmo modificado para servir o objetivo ou propósito.

Como a popularidade do Yoga atingiu o pico no início de 1990, a marca de estilos tornaram-se muito importante, e longe de descrever o processo da prática de yoga, o Viniyoga de repente se tornou-se em alguns países estilos de Yoga. Foi ainda comumente mal entendido que era um estilo de Yoga inventado por T Krishnamcharya e TKV Desikachar. E Desikachar muito preocupado, como ele, e mais notavelmente seu professor T Krishnamacharya, nunca acreditaram no conceito de estilos de Yoga".

O método desenvolvido experimentalmente por Jonathan Novais trata-se, de uma aboradagem aplicada, com visão de Yoga individual, ensino, na base de relação instrutor - praticante. Desse modo, na escola, utilizamos o conceito do termo Viniyoga para adequar à pratica Integrativa individual; realmente a forma mais coerente de falar seria "Viniyoga Integrativo". Assim, seria a "Aplicação da Yoga Integrativa", e assim, como escola, montamos e desenvolvemos nossos protocolos, tendo como base a realidade de cada praticante.