Nossa escola é um espaço destinado ao estudo e a prática de Yoga, Meditação e Ayurveda.

Aqui não há linhagem de mestres, somos apenas aprendizes e instrutores / facilitadores de estudos e práticas relacionadas ao Yoga Clássico, sem por menores, respeitando todas as crenças e abordagens, porém, praticando e estudando o Yoga. Buscamos o conceito de  Sāṅkhya  e o de Moksha , sendo estas as principais metas do Yoga e também nosso Sadhana.

Como referência conceitual, a fim de ancorar nosso trabalho, apresentamos a seguir os textos básicos do Yoga que norteiam o estudo e a prática (Sadhana) do que chamamos de Yoga Clássico. Sabemos, contudo, que as práticas de Yoga são mais antigas dos que os textos apresentados, porém ocorre uma convenção internacional acerca dos mesmos

A síntese bibliográfica que orienta a base conceitual e filosófica da prática que realizamos em nossa escola é composta por três compilados e/ou referências, são elas:

  • Yoga Sutra de Patáñjali,
  • Hatha Yoga Pradípiká,
  • Gheranda Samhita.

Yoga Sutra de Patáñjali

O Yoga Clássico é também conhecido como Rája Yoga, Dárshana Yoga e/ou Ashtánga Yoga.

O termo sútra tem origem na raiz su ou siv costurar. São então, grandes aforismo acerca do tema em questão, uma forma didática e clara de se descrever textualmente.

O Yoga Sútra possuí  195 aforismos, distribuídos em 04 (quatro) partes, são eles:

  1. Samádhi Páda – A Senda da Iluminação.
  2. Sádhana Páda – A Senda da Prática.
  3. Vibhúti Páda – A Senda dos Poderes.
  4. Kaivalya Páda – A Senda do Isolamento ou da Libertação.

Yoga quer dizer mesmo "união", tal como o caminho do meio, o equilíbrio, a harmonia autêntica da vida. De um lado Purusha do outro Prakriti, constituindo o equilíbrio da realidade dual, estes equivalem ao Yang e Yin do taoismo chinês. 

No Unmani praticamos o Yoga de Patáñjali, conceituado  como "Ashtánga Yoga" (ashta = oito e anga = parte), o qual encontra-se dividido em 08 (oito) partes ou 08 (oito) membros, a saber:

Yama, Niyama, Ásana, Pránáyáma, Pratyáhara, Dhárana, Dhyána e Samádhi.

Ashtánga Yoga de Patáñjali

  • YAMA = Orientações sobre convivência e disciplina
  • NIYAMA = Orientações sobre autoconhecimento e autocontrole
  • ÁSANA = Orientações sobre Posições psicofísicas de assentamento
  • PRÁNÁYÁMA = Orientações sobre Controle, captação e expansão da bio-energia
  • PRATYÁHÁRA = Orientações sobre Recolhimento dos sentidos sensoriais
  • DHÁRANA = Orientações sobre a Concentração
  • DHYÁNA = Orientações sobre a Meditação através da cessação das ondas mentais
  • SAMÁDHI = Orientações sobre o Êxtase ou êstase

Hatha Yoga Pradípiká

“As ações que purificam o corpo são secretas. Possuem múltiplos, surpreendentes resultados e são tidas em grande estima pelos yogis”. Hatha Yoga Pradípiká, II:23

A prática de Hatha Yoga ocorre através dos ásanas (poses ou posturas) e dos pránáyámas (exercícios respiratórios), do relaxamento completo e da própria concentração.

Esse conjunto de técnicas deve ser praticado com freqüência e seriedade. Os ásanas ou posturas psicofísicas do Hatha Yoga são em número de 84, as fundamentais 32 e 7 elementares.

Segundo o Hatha Yoga Pradípiká (1.33), Shiva ensinou somente oitenta e quatro posturas. Dessas, as seguintes trinta e duas são descritas na Gheranda Samhitá:

  1. Siddhásana (“postura do adepto”)
  2. Padmásana (“postura do lótus”)
  3. Bhadrásana (“postura auspiciosa”)
  4. Muktásana (“postura liberta”)
  5. Vajrásana (“postura do diamante”)
  6. Svastikásana (“postura svastika”)
  7. Simhásana (“postura do leão”)
  8. Gomukhásana (“postura da cara-de-vaca”)
  9. Virásana (“postura do herói”)
  10. Dhanurásana (“postura do arco”)
  11. Mritásana (“postura do cadáver”)
  12. Guptásana (“postura oculta”)
  13. Matsyásana (“postura do peixe”)
  14. Matsyendrásana (“postura de Matsyendra”)
  15. Gorakshásana (“postura de Goraksha”)
  16. Paschimottanásana (“postura de extensão das costas”)
  17. Utkatásana (“postura extraordinária”)
  18. Samkatásana (“postura perigosa”)
  19. Mayúrásana (“postura do pavão”)
  20. Kukkutásana (“postura do galo”)
  21. Kurmásana (“postura da tartaruga”)
  22. Uttánakurmakásana (“postura estendida da tartaruga”)
  23. Uttánamandukásana (“postura estendida do sapo”)
  24. Vrikshásana (“postura da árvore”)
  25. Mandukásana (“postura do sapo”)
  26. Garudásana(“postura da águia”)
  27. Vrishásana (“postura do touro”)
  28. Shalabhásana (“postura do gafanhoto”)
  29. Akarásana (“postura do tubarão”)
  30. Ushtrásana (“postura do camelo”)
  31. Bhujangásana (“postura da serpente”, freqüentemente chamada de “postura da naja”) e
  32. Yogásana (“postura do Yoga”).

As quatro principais escolas dentro do Hatha Yoga são:

  •  SADHANGA (seis angas ou seis partes): descrita por Gorakshanatha, em texto clássico chamado Siddha Sidhanta Paddhati.
  •  SAPTHANGA (sete angas ou sete partes): descrita por Gheranda a um de seus discípulos, no célebre texto Gheranda Samhita (Coleção do Gheranda)
  • ASTHANGA (oito angas ou oito partes): descrita por Patáñjali no Yoga Sútra.
  •  PRADIPIKA (O Elogio ao Hatha Yoga): descrito por Swami Svatmarana. É um texto clássico que busca restabelecer uma imagem mais profunda do Hatha Yoga.

Dentre os textos clássicos que tratam do Hatha Yoga, destacam-se os mais específicos, o Gheranda Samhita (atribuído ao um sábio chamado Gheranda) e o Hatha Yoga Pradípiká (de autoria de Svatmarama).

No caso do Gheranda Samhita os ensinamentos passados pelo rishi Gheranda ao seu discípulo Chanda Kapali, estão dispostos em 07 (sete) lições. São textos originais, mantidos na sua forma pura, que, através de uma profunda simbologia, transmitem as bases doutrinárias, filosóficas e práticas do Hatha Yoga.

Eles nos falam dos ásanas perfeitos, dos mudrás da felicidade e das demais condições indispensáveis para alcançar a verdadeira plenitude yogue.

Os 07 (sete) exercícios são:

  1. Os Kriyá: dhauti, basti, neti, laukiki, trátaka e kapálabháti.
  2. Os Ásanas
  3. Os Mudrá são 25:
    1. Maha
    2. Nabho 
    3. Uddiyana bandha
    4. Jalandhara
    5. Mulabandha
    6. Mahabandha
    7. Mahavedh 
    8. Khechari 
    9. Viparita Karani 
    10. Yoni 
    11. Vajroli 
    12. Shakti Chalana,
    13. Tadagi
    14. Manduki
    15. Sambhavi
    16. Pancha dhárana
    17. Ambhasi dhárana,
    18. Agneyi dhárana,
    19. Vayavi Dhárana,
    20. Akasi dhárana,
    21. Asvini
    22. Pasini 
    23. Kaki 
    24. Matangi(ní) 
    25. Bhujanginí 
  4. Pránáyámas: Sahita, Surya Bheda, Vayus, Ujjayi, Sitali, Bhástrika, Bhama Ri, Murccha, Kevali.
  5. Pratyahara
  6. Dhyána
  7. Samádhi

O texto Hatha Yoga Pradipiká compõe-se de 04 (quatro) capítulos, dos quais os três primeiros são mais específicos deste ramo do Yoga. No primeiro estão as práticas dos ásanas. No segundo capítulo descrevem-se as práticas dos pránáyámas, enquanto o terceiro trata dos mudrás, da sua prática e efeitos. 

 Gheranda.Samhita propõe uma disciplina sétupla (sapta-sádhana). O Hatha Yoga tem vinte “membros” (angas). São eles:

  1. disciplina moral (yama);
  2. autocontrole (niyama);
  3. postura (ásana);
  4. controle da respiração (prána samyama)
  5. recolhimento dos sentidos (pratyahara);
  6. concentração (dhárana);
  7. meditação (dhyána);
  8. o êxtase (samádhi);
  9. o “grande selo” (mahá mudrá);
  10. a “grande trava” (mahá bandha);
  11. o “grande perfurador” (mahávedha);
  12. o “selo do que caminha no espaço” (khecharí mudrá);
  13. a “trava de retenção da água” (jáIandhara);
  14. a “trava ascendente” (uddiyána bandha);
  15. a “trava da raiz” (múIa bandha);
  16. a “prática do pranava estendido” (dírgha pranava samdhána);
  17. ouvir (isto é, estudar) os ensinamentos (siddhánta shravana);
  18. o “selo vajroli” (vajroli o “selo)
  19. o amaroft” (amaroli mudrá);
  20. o “selo sahajoli” (sahajoli mudrá).

Dessa forma, a soma desses elementos, "unidos" pelo Yoga, configuram um "Método", este, pode-se assim dizer, é a base praticamente para todas as "linhas", "métodos" ou "abordagens" que existam na Índia, ou qualquer lugar do mundo.

Os 03 (três) documentos citados acima e a síntese que apresentamos, configuram o esqueleto para construção da jornada no caminho Yoga, porém, não se esgotam a literatura ascendente do Yoga, com os renomados mestres do Yoga aos novos educadores físicos. Eu nesse caso, Biólogo, estudo a vida, e o corpo é veículo para apreciação desse caminho.

Nossa escola ou estúdio dedica-se ao estudo e a prática de Yoga, sendo estes para para todos!

Precisamos conhecer, vivenciar e irradiar. 

Jonathan V Novais | Biólogo e Instrutor de Yoga

 

 

 

Sem título.png